Conheça um pouco mais sobre Barragens de Rejeitos Sólidos – BRITAMIL – Brita, Concreto e Serviços de Engenharia Ltda.

Conheça um pouco mais sobre Barragens de Rejeitos Sólidos

Campanha Julho laranja/branco – Saúde Bucal
2 de agosto de 2021
Campanha Outubro Rosa Mês de Prevenção ao Câncer de Mama
26 de outubro de 2021

Barragens de rejeitos sólidos são um reservatório destinado a reter resíduos e água resultantes de processos de extração de minérios no local, prevenindo assim, que haja contaminação e danos ambientais.

As características dos rejeitos podem variar de acordo com o tipo de mineral e o processo de beneficiamento empregado. Eles podem ser formados por lamas (granulometria fina (inferior a 0,074 mm), materiais com alta plasticidade, alta compressibilidade e de difícil sedimentação), ou areias (granulometria grossa, material não plástico, alta permeabilidade e boa resistência ao cisalhamento).

Ocasionalmente é necessário ampliar a capacidade de armazenamento de uma barragem de rejeitos que deve ser feita com a construção de alteamentos.

Existem três métodos para realizar esse procedimento:

– O método para montante: esse é o modo mais simples e de baixo custo, contudo, é o método que está mais associado a casos de ruptura por todo o mundo. A construção dessa barragem começa com um dique, utilizado como aterro compactado ou enrocamento. Os rejeitos são descarregados hidraulicamente, por meio de canhões ou hidrociclones, desde a crista (parte mais alta) do dique de partida, formando uma praia de rejeito que será utilizada como fundação, fornecendo material para futuros diques.

– O método de alteamento para jusante: é modo mais conservador de construção, sendo desenvolvido para reduzir os riscos de liquefação em zonas de atividade sísmica. A instalação do núcleo impermeável e zona de drenagem possibilitam que haja o barramento de um volume substancial de água diretamente em contato com o talude a montante (plano de terreno inclinado que limita um aterro e tem como função garantir a estabilidade do aterro), sem que haja instabilidade de estrutura. Esse método, inicialmente é feito igual ao anterior, é necessário a construção de um dique de partida e os rejeitos são depositados a montante. À medida que a borda livre é atingida, são feitos alteamentos sucessivos para jusante. Mesmo que haja um grande volume de água, a estabilidade da estrutura não é afetada devido às zonas de drenagem e núcleos impermeáveis. Entretanto, há uma desvantagem, o alto valor de custos dos alteamentos, devido ao grande volume de aterro necessário. Dessa forma, a limitação da altura final de uma barragem de rejeitos alteada dependerá da área de terreno disponível.

– O método de alteamento na linha de centro: Esse método oferece estabilidade superior à da barragem alteada para montante, entretanto não requer um volume de materiais tão grande, como no alteamento para jusante. Sendo construída da mesma forma que as anteriores, os rejeitos são lançados a partir da crista do dique inicial. Quando os alteamentos se tornam necessários, novos diques são construídos, tanto sobre os rejeitos dispostos a montante quanto sobre o aterro do dique anterior, de forma que o eixo de simetria não é alterado.

No último levantamento de barragens de rejeitos sólidos no Brasil de 2017 realizado pela ANA (Agência Nacional de Águas), o país possui 24 mil barragens registradas que serviam a diferentes propósitos. Desse total, 790 são utilizadas para a contenção de rejeitos de mineração e 204 delas têm alto potencial de causar dano ao meio ambiente e às pessoas.

Os diretores da Pavidez Engenharia Edson Fernando Maciel Tavares e Eloizio Maciel Tavares recomendam que sempre busquem por empresas sérias e que possuam uma equipe capacitada no assunto antes de realizar qualquer projeto! Dessa forma é possível realizar um trabalho de qualidade e com segurança!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *